FRAME FULL 3.png

CAMINHAR PARA TRÁS, 2022 - biarritzzz + ABRÒS

videoarte//

Em uma busca por vestígios do que já existiu, um ser encantado sobrevoa o rio Pinheiros anunciando a chegada de um guardião.

 

“Onde os sinais que nos rodeiam falam para quem tem a chave. Essa chave atravessa os tempos e aparece à vista, de onde nunca saiu. Os rios, a mata, os povos e os bichos que aqui viviam, habitam uma terra invisível de teias suspensas, que flutuam à espera de um novo colapso. O fogo que anda segue caminhando, e esta caminhada não olha para frente”.

CAMINHAR PARA TRÁS 2022.00_00_10_07.Quadro001.jpg
CAMINHAR PARA TRÁS 2022.00_03_23_04.Quadro004.jpg
CAMINHAR PARA TRÁS 2022.00_02_47_08.Quadro005.jpg
CAMINHAR PRA TRÁS.00_04_03_15.Quadro031.jpg
CAMINHAR PARA TRÁS 2022.00_04_18_19.Quadro008.jpg
CAMINHAR PARA TRÁS 2022.00_04_32_09.Quadro009.jpg

Animação experimental desenvolvida para a faixa de LED da faixada da Casa Natura Musical, em São Paulo. Dentro de uma leitura não linear de tempo, o trabalho revisita duas obras de grafitti realizadas por Abròs em períodos distintos, em Camaragibe e Maracaípe (PE), que alimentam um mesmo imaginário compartilhado, num movimento que segue outros ciclos de produção de imagem, simbologia e significados, revelando outra camada dessas produções para além do aqui e agora.

 

No universo da apropriação digital e da linguagem do chromakey, biarritzzz desenvolve a animação partindo de uma pesquisa de mapas do entorno da própria Casa Natura, local onde é exibido o trabalho, e de imagens de drone sobre Rio Pinheiros, curso de água enforcado pela metrópole paulista que dá nome ao bairro onde a casa está localizada. A mata da Serra do Mar, de onde nascem as águas que lhe formam, é fundo, fim e recomeço da narrativa, que remonta aos olhos dos encantos, que nas sobras e restos ainda protegem, mas também se vingam.

Parte da Exposição NA FAIXA exibida na Casa Natura Musical com curadoria do Coletivo COLETORES.